A versatilidade da cultura jaboatanense na recepção ao símbolo olímpico

A versatilidade da cultura jaboatanense na recepção ao símbolo olímpico

 

Público acompanhou com empolgação as apresentações de hip hop, dança, capoeira e mamulengo no Polo Cultural armado para o evento

 Carol Moura

Com bandeirinhas do Brasil e do município, o público que prestigiou a passagem da Tocha Olímpica por Jaboatão dos Guararapes, nesta terça-feira (31), mostrou muita animação no Polo Cultural montado em frente à Igrejinha de Piedade. As apresentações começaram às 9h e se estenderam até às 11h30. Todos os grupos que se apresentaram são da própria cidade, mostrando a força da cultural local. Além da programação, estudantes das Escolas municipais Bartolomeu de Gusmão e Antônio Januário movimentaram shows de música e canto, respectivamente. No palco aconteceu o ultimo revezamento da tocha em Jaboatão, com a paratleta Jenifer Martins passando o símbolo olímpico para a nadadora Carolline Gomes . Centenas de pessoas acompanharam o evento.

O prefeito Elias Gomes destacou a importância do momento para a cidade. “Jaboatão se insere neste grande encontro do mundo inteiro. As Olimpíadas têm esse papel de juntar os povos de todos os continentes. Momento em que todas as raças, credos, cores, classes sociais, ideologias se encontram para celebrar a humanidade. Hoje seremos vistos no mundo inteiro e a nossa cidade se sente orgulhosa de participar desse grande evento”, destacou.

A festa teve início com o teatro de Mamulengo Jurubeba, com um espetáculo que encantou crianças e adultos que se identificaram com causos cotidianos contados de forma bem-humorada. O grupo Força da Capoeira mostrou habilidades e versatilidade da dança que teve origem com os escravos. Já a Academia Jaboatonense de Artes Geração X (AJAX) animou o público com sua dança. E a Cia de Dança Valdeck Farias, criada há 30 anos e em sua trajetória traz vários prêmios de dança, impressionou o público com a elasticidade e agilidade de seus dançarinos.

O criador da Academia Jaboatonense de Artes Geração X, Pedro Faustino, destacou a importância de ter participado do evento. “Somos um grupo Jovem e foi muito importante participar de um momento como esse. Ficamos muito honrados pelo convite”, enfatizou.