Casa de Paulo Freire

Endereço do bem: Rua Virgilio Lamenha Lima,70 – Jaboatão Centro
Nome do Proprietário: Família Portela – Silvia e Célia Portela

Um dos maiores pensadores do Século XX, Paulo Freire, declarado em 2012 Patrono da Educação Brasileira, pela Lei nº 12.612, de 13 abril de 2012. Filósofo e pedagogo viveu durante 9 (nove) anos no município de Jaboatão dos Guararapes, onde chegou com 11 anos de idade, em 1932, passando a adolescência e parte de sua juventude nesta cidade.

Paulo Freire morou neste imóvel em um período muito importante na sua vida, que foi quando decidiu se dedicar a carreira de educador. Foi nesta casa em Jaboatão, no Morro da Saúde que Paulo Freire começou a desenvolver suas primeiras memórias afetivas e viveu sua pré-adolescência onde se descobriu homem e despertou sua inquietude sobre as diferenças sociais.
A pobreza toma conta da família, Paulo Freire perde o pai aos treze anos e diz ironicamente: “Morando no Morro da Saúde em Jaboatão!”
Nessa época, para dar continuidade aos estudos feitos com sua mãe, fez o “primário” numa escola particular, que se chamava “Escola Eunice Vasconcelos”, completando seus estudos (primários) em Jaboatão.

O próprio Paulo Freire relata a importância de sua pré-adolescência em Jaboatão: “Obviamente, as experiências vividas no SESI, a que juntava memórias da infância e da adolescência em Jaboatão, me ajudavam a compreender, antes mesmo de leituras teóricas sobre o assunto, as relações consciência-mundo de forma tendentemente dinâmica, jamais mecanicista”
(Fonte: Paulo Freire, Pedagogia da Esperança, 1992, p. 102-103).
Está escrito em uma das notas da “Pedagogia da Esperança” da importância deste tempo vivido por Paulo Freire em Jaboatão, “Jaboatão foi um espaço/tempo de aprendizagens, de dificuldades e de alegrias vividas intensamente, eles ensinavam a harmonizar o equilíbrio entre o ter e o não
ter, o ser e o não ser, o poder e o não poder, o querer e o não querer… “Forja-se assim Paulo Freire na Disciplina Esperança”.
Na página dedicada a Paulo Freire no Projeto Memória, mantida pelo Governo Federal em conjunto com Instituto Paulo Freire e outros, destaca-se a importância dessa época na vida de Paulo Freire, vejamos: “Nos campos de futebol de Jaboatão, ele mantinha contato com a camada mais pobre da cidade, jogando peladas com meninos camponeses e filhos de operários que moravam em morros e brincavam em córregos. Com eles, Paulo Freire descobriu uma forma diferente de pensar e de se expressar – era a linguagem popular, à qual ele sempre privilegiou usando-a mais tarde como educador.”

(Fonte:http://www.projetomemoria.art.br/PauloFreire/biografia/02_biografia_juventude_e_universidade.html ).

Paulo Freire foi secretário de educação de São Paulo e criou o novo programa de alfabetização para jovens e adultos. Considerando o ato de ser e aprender como condição para a cidadania autentica e a transformação.
Em evento que homenageou postumamente o filósofo-pedagogo, onde recebeu o título de cidadão do município, realizado em setembro de 2011, Ana Maria Freire, viúva do Mestre, relata: “Paulo desejava muito receber esse título, pois foi em Jaboatão que ele começou a desenvolver suas primeiras memórias afetivas. Ele viveu sua pré-adolescência no Morro da Saúde, onde se descobriu homem e despertou sua inquietude sobre as diferenças sociais.”

Fonte: http://www.jaboatao.pe.gov.br/jaboatao/secretarias/desenvolvimento-social/2011/09/23/NWS,413627,52,553,JABOATAO,2132-ANA-MARIA-FREIRE-RECEBE-TITULO-POSTUMO-PAULO-FREIRE.aspx, disponível também em: http://www.jaboatao.pe.gov.br/jaboatao/nwsPrint.aspx?mId=413627

Check Also

Último Ato de José Pimentel

José de Souza Pimentel, ator, diretor e dramaturgo brasileiro, além de professor de teatro na …