Educação Patrimonial

A educação patrimonial diz respeito a um processo educativo que trata o patrimônio cultural a partir da importância de sua preservação, perspectivando a apropriação dos bens culturais pela sociedade e desenvolve uma relação diferenciada entre os bens patrimoniais e aqueles que a utilizam, despertando uma nova forma de olhar, pensar e transformar o mundo. É ainda uma forma de manter uma relação de utilização e apropriação daqueles bens que são significativos para nossa identidade, para dizer quem somos, e como somos para os de hoje e os de amanhã.

Partido da visão de Paulo Freire, a educação sozinha não transforma a sociedade e sem ela tampouco a sociedade muda. Sabe-se, que as transformações sociais decorrem principalmente da educação, pois educar, num sentido amplo, compreende um processo de desenvolvimento da capacidade intelectual e moral do ser humano, visando a sua integração social.

A educação patrimonial pode ser entendida como uma proposta interdisciplinar de ensino que tem o patrimônio cultural como objeto de conhecimento. Segundo Ricardo Oriá (2008, p.141).

Compreende desde a inclusão, nos currículos escolares de todos os níveis de ensino, de temáticas ou de conteúdos programáticos que versem sobre conhecimento e a conservação do patrimônio histórico”

Visando promover uma política pública de Educação Patrimonial no município, a Secretaria de Cultura desenvolveu através da Coordenadoria de Patrimônio histórico, um Programa de Educação Patrimonial denominado “Jaboatão minha cidade – Aproprie-se desse Patrimônio”, com objetivo de sensibilizar Professores, Alunos e a Comunidade local, sobre a importância de conhecer, preservar e divulgar o patrimônio histórico e cultural do município, buscando uma relação de pertencimento na construção da cidadania. As ações foram operacionalizadas observando o perfil de cada segmento de forma atingir os objetivos esperados.

.

I- EDUCAÇÃO PATRIMONIAL –“Jaboatão Minha Cidade Aproprie-se desse Patrimônio”- PROFESSORES

A Capacitação em Patrimônio histórico e Educação Patrimonial inicialmente foram aplicadas para professores de história dos anos finais (6º ao 9º ano) do fundamental II dentro da formação continuada em rede. Visando à formação de multiplicadores, bem como a aplicabilidade desse tema transversal, concretizado através da Lei nº 9394/1996, a Lei de Diretrizes Bases da Educação (LDB), e com a implementação dos Parâmetros Curriculares Nacionais, os PCNs 1997/1998.

Um curso Inédito em Pernambuco, realizado em 05 módulos com os seguintes conteúdos: Conceitos relativos ao patrimônio; Apropriação do conhecimento por meio da vivência; Visitas orientadas aos espaços culturais de Jaboatão; A apropriação do conhecimento de diferentes disciplinas inserida na Educação Patrimonial; A importância da arquitetura construtiva nos monumentos do município. Uma ação é realizada em parceria com a Secretaria de Executiva de Educação.

No momento atual o programa já capacitou os professores de Geografia dos e está concluído o ano de 2015 com os professores de Língua Portuguesa dos anos finais.

Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) para o ensino fundamental, elaborados pelo Ministério da Educação (MINC), trazem uma inovação, ao permitir a necessária interdisciplinaridade na educação básica, mediante a introdução dos chamados “temas transversais’’, que deverão perpassar as diferentes disciplinas escolares”. Dois desses temas transversais possibilitam à escola o estudo do patrimônio histórico e a consequente adoção de projetos de educação patrimonial. Trata-se dos temas do meio ambiente e da pluralidade cultural. Observando esse contexto o Programa Jaboatão Minha Cidade Aproprie-se desse Patrimônio – visa sua continuidade inserida outras disciplinas. Contudo a apropriação do Patrimônio Cultural e de tudo que ele representa, é de suma importância para que os “agentes multiplicadores”, especialmente os professores do ensino fundamental, tenham suporte teórico-metodológico e conhecimento adequado acerca do assunto.

Entendemos que há espaços normativos para que a escola vivencie experiências inovadoras capazes de suscitar nos alunos o interesse pelo conhecimento da preservação e memória dos nossos bens culturais. No entanto, é preciso que as Instituições de ensino dos estados e municípios, em parceria com os órgãos de preservação, realizem cursos e atividades pedagógicas que instrumentalizem o professor com a concepção e a metodologia da educação patrimonial para sua aplicabilidade.