Patrimônio Cultural

PATRIMÔNIO CULTURAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Art. 216 – Constitui patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem:

I – as formas de expressão;

II – os modos de criar, fazer e viver;

III – as criações científicas, artísticas e tecnológicas;

IV – as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;

V – os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico (BRASIL, CF., 1988)

 

PATRIMÔNIO CULTURAL

Patrimônio cultural é todo conjunto de bens culturais, materiais e imateriais, que possuem valores históricos, artísticos, ecológico, científicos ou associativos e que definem, em diferentes escalas, a identidade de uma comunidade, um Estado ou uma Nação e que devem ser preservados como legado às gerações futuras.

 

  1. a) PATRIMÔNIO MATERIAL

São bens de natureza concreta como, monumentos, sítios arqueológicos e paisagens, núcleos urbanos, as coleções arqueológicas, acervos museológicos, documentais, bibliográficos, arquivísticos e cinematográficos.O bem material está sujeito a uma proteção através de tombamento.

  1.  b) PATRIMÔNIO IMATERIAL

São bens de valor imaterial que compreendem as expressões culturais, as práticas, as representações, os conhecimentos e as tradições que um grupo de indivíduos preserva em respeito da sua ancestralidade para as gerações futuras. A salvaguarda desse bem é feita através de registro.

Os bens de natureza material podem ser imóveis como as cidades históricas, sítios arqueológicos e paisagísticos e bens individuais; ou móveis, como coleções arqueológicas, acervos museológicos, documentais, bibliográficos, arquivísticos, videográficos, fotográficos e cinematográficos.

  1.  c) PATRIMÔNIO AMBIENTAL OU NATURAL

O patrimônio natural compreende áreas de importância preservacionista e histórica, beleza cênica, enfim, áreas que transmitem à população a importância do ambiente natural para que nos lembremos de quem somos o que fazemos de onde viemos e, por consequência, como seremos.

Patrimônio Natural designa algo com características físicas, biológicas e geológicas extraordinárias; habitat de espécies animais ou vegetais em risco e áreas de grande valor do ponto de vista científico e estético ou do ponto de vista da conservação (UNESCO,1972)

     1- Praia de Piedade

Piedade é um bairro de Jaboatão dos Guararapes, integrante da Regional 06 — praias. Destaca-se por sua praia homônima; ela era parte da praia de Candelária junto com a Praia de Boa Viagem e da Praia do Pina, em Recife e a Praia de Candeias. Em 1648 foi fundada a Igreja de Nossa Senhora da Piedade, que deu origem ao bairro. Foi construída nas terras de Francisco Gomes; assim sendo, até o século XVII a praia de Piedade se chamava praia de Francisco Gomes. A Praia de Piedade só obteve esse nome quando foi construída a Capela que deu origem à atual Igreja da Piedade. Muitas pessoas pescam e aproveitam a proteção oferecida para banharem-se nas piscinas naturais formadas.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    2- Praia de Venda Grande     

Entre as praias de Piedade e das Candeias ali se encontrava Venda Grande. Assim chamada porque no passado existia neste local a comercialização, ou seja, uma venda muito grande dos negros que vinham nos navios Negreiros do tipo Patachós, , e que eram despejados nas áreas portuárias e comprados pelos proprietários dos engenhos. Por esse período a cultura da cana de açúcar chegava a Pernambuco. Venda Grande, Porto de Galinhas, Olinda e Recife eram áreas portuárias por onde entravam os negros Nas proximidades de Venda Grande, mas próximo do povoado da Candelária, havia um porto onde servia de ancoradouro dos navios que traziam os negros e uma capela que servia de orientação para as embarcações. Essa Igreja ficava no sitio da Candelária e sua construção é de 1598. Nos anos de 1939 a igreja foi dragada pelo avanço do mar restando apenas algumas pedras que encontradas no local e que estão preservadas pela Prefeitura para estudo.

  3 – Praia de Candeias

A extensão da praia de Candeias é de aproximadamente 3 km, assim como a vizinha Piedade tem areias brancas e fofas. As águas são calmas e mornas. Localizada entre a praia de Piedade ao norte e a praia de Barra de Jangada ao sul.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. .wikipedia.org/wiki/Piedade_(Jaboatão_dos_Guararapes

 

4 – Barra de Jangada

Com extensão de aproximadamente 400m em praia quebrada, suas areias são finas e de tonalidade dourada, apresentando pequenos trechos de vegetação rasteira. Considerada regular para o banho, suas águas são pouco profundas com média intensidade de ondas na prea-mar e de marolas na baixa mar.

Por ser uma praia localizada na foz do Rio Jaboatão, apresenta duas faces: uma voltada para o Oceano e outra voltada para a foz do rio. Sua ambiência é marcada ao norte pela Praia de Candeias e ao sul pela foz do Rio Jaboatão

Fonte: Site da Prefeitura

5 – Lagoa Olho D água – Lagoa do Náutico

É a única lagoa de restinga, e duas vezes maior do que a Lagoa Rodrigues de Freitas no Rio de Janeiro. É chamada de Lagoa do Nautico porque lá existia um armazém aonde o clube guardava as regatas, os barcos etc. na época a localidade se chamava PAU SECO.

Fonte : Adiuza Belo – Historiadora.


6 –Lagoa Azul